Engenharia Ferroviária

Engenharia Ferroviária – Viva e Necessária

O que realmente se conhece no Brasil sobre Engenharia Ferroviária?


Por longos anos, para mim intermináveis, venho ouvindo que o Brasil por ser um país de dimensões continentais precisa imensamente de suas ferrovias. Parece lógico mas a lógica brasileira parece ser diferente de todas as demais. Políticos, consultores, empresários, enfim uma longa fila de pessoas ligadas com nossa área de logística, vem discursando em prol da Ferrovia. Programas governamentais de crescimento têm levado às alturas termos como: AGORA VAI!!!!! O motivo da pergunta inicial é exatamente este: Será que todos nós brasileiros conhecemos realmente a necessidade de termos uma rede ferroviária que saia do papel e entre para a história? Será mesmo???

E nós engenheiros?? Consideramos a Engenharia Ferroviária como um ramo fundamental ao desenvolvimento de qualquer nação, sendo por isso mesmo indispensável ao Brasil e fonte de empregos que garantam à população uma melhor qualidade de vida?? Transporte interno e externo; movimentação de cargas e passageiros de forma inteligente e organizada, projetos que aumentem a vida útil dos ativos e reduzam custos de manutenção, são alguns aspectos que nunca deveriam ter saído do vocabulário de nossas escolas de Engenharia. Mas alguém poderá retrucar: Estes assuntos são fortemente citados nas Universidades e cursos regulares de Engenharia, MBA e outros modismos. Eu, entretanto retrucaria dizendo: Todos estes pontos vitais têm sido estudados sob a visão ferroviária em nosso país continental? É óbvio que não!!!!! E como eu sinto por isso!!! Vejo, após 35 anos dedicados à Ferrovia que ainda não temos vontade de fazer o que precisa ser feito para que o Brasil possa ter política de transporte verdadeira e voltada ao país e não para um partido ou grupo de interesse político pessoal.

Existe grande número de simpatizantes e profissionais que já compreenderam que a Ferrovia é o oxigênio de nosso sistema circulatório e a eles deixo aqui meu reconhecimento e gratidão. Mas, ou são poucos e muitas vezes usados pela poderosa mídia como defensores de coisas do passado como velhas locomotivas a vapor, sonhos de retorno a um passado que permanecerá passado, ou são lutadores solitários da lógica que no Brasil parece ilógica!!
Então, após muito reclamar e brigar pela Engenharia Ferroviária, decidi escrever sobre ela para poder passar aos que me seguirão (espero que existam muitos destes corajosos) os conceitos e equipamentos de uma área da Engenharia que como todas, possui muita “beleza” técnica e aspectos que sem dúvida poderão animar os jovens a dar prosseguimento ao trabalho.

“CASO A FERROVIA SOBREVIVA AO MUNDO DO SÉCULO 20, ELA SERÁ O TRANSPORTE DO SÉCULO 21”- Louis Armand, engenheiro francês respondendo a uma pergunta em 1878 sobre quanto a Ferrovia teria de vida útil, após os seus primeiros 50 anos.

Pretendo trabalhar para apresentar as matérias e dados que serão disponibilizados neste site de forma totalmente livre, segundo minha própria determinação e disponibilidade mas sempre organizada em assuntos que classifico abaixo:

  • CONCEITOS FERROVIÁRIOS ligados principalmente ao transporte de carga, já que esta é a grande base de conhecimento que reuni. Tentarei mostrar dados e fatos que possam auxiliar aqueles que visam entender a já mencionada lógica por este modal de transporte;
  • ASPECTOS DE PROJETO relacionados aos vários tipos de veículos ferroviários, conforme sua utilização. Como escolher, definir, conformar um projeto de vagão que atenda às necessidades de seu proprietário, retirando dele o máximo de desempenho;
  • COMPONENTES dos vagões para cada parte de seu projeto. Neste aspecto, serão apresentadas formas estruturais e dados relacionados com a parte rodante (fundidos, suspensão, rolamentos, rodas, eixos, etc), sistemas de choque e tração (engates) e sistemas de freio próprios para que o comboio ferroviário funcione de forma equilibrada e de acordo com aspectos de segurança operacional das ferrovias;
  • ASPECTOS NORMATIVOS existentes no múltiplos ambientes ferroviários, com grande ênfase aos documentos técnicos de padrões e práticas recomendados pela AAR-Association of American Railroads, bem como por outras que se façam necessárias usadas no Brasil como as normas da ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas, que possam estar disponíveis na ocasião;
  • DINÂMICA FERROVIÁRIA dos vagões e trens, comentando sobre aspectos ligados a esta que é hoje a maior atração da Engenharia Ferroviária em termos de contato roda x trilho, vida útil de componentes e simulações permitidas em computador.

Importante: Não serão apresentados projetos ou dados sigilosos de empresas já que tais desenvolvimentos pertencem a seus autores. As referências fotográficas serão aquelas gerais tomadas em locais que não comprometam instalações industriais, possuindo sempre o crédito de sua autoria, bem como informações técnicas já de domínio público.

Vamos ao trabalho!!!